terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Quero que o Natal exista!



Todos os anos me chega esta vontade de querer acreditar no Natal! Talvez não me tenha curado da infância. E ainda bem, então!


Começo a ver as luzes nas lojinhas, os embrulhos de papéis bonitos e laçarotes, as árvores enfeitadas de fios prateados e de bolinhas e de estrelas, os balões vermelhos a brilhar, a brilhar. Os vasos de estrelas vermelhas a que não resisto! 

Surgem timidamente os primeiros enfeites, cada um põe a sua arvorezinha singela, porque há árvores e natais de todos os tamanhos e riquezas. 


Árvores, raminhos, coroas, sempre feitas com ternura. Acho eu. Ou serei uma optimista inveterada e quero que seja assim: que todos podem pensar no Natal com ternura, com esperança?~

 E lá vou eu buscar a minha árvore de Natal, empoleirada no alto de um escadote, e tirá-la do armário bem embrulhada do ano passado, para se fazer pequenina e caber.


Para mim o Natal será sempre a expectativa - das prendas? Claro. De tantas outras coisas, também! Penso que cada ano me divirto a buscar velhas coisas para renovar e pendurar da árvore... Mudo-a de sítio para a ver sob ângulos novos. Enfim, eu quero acreditar que há Natal!


Será sempre a mesma alegria de acreditar que sim, que este ano vai ser um bom Natal, todos reunidos, mais ou menos, de olhos abertos a brilharem à luz das luzinhas coloridas.

Tanta tristeza se vê passar ao longo de um ano inteiro. Tantas imagens de destruição, de desespero, de desamor. Tantos gestos falhados ou agressivos. Tantas armas prontas a ferir e a matar. Tantas palavras que magoam. Tanta pobreza escondida e tanta à vista! Tantas sombras que passam pelas vidas. E tanta vontade de chorar...


Por isso eu quero rir e quero acreditar no Pai Natal deste ano! 


Por que diabo quero eu teimar em acreditar que sim, que este ano sim... 
Por que tenho a mesma vontade,  todos os anos, de acreditar que há um Pai Natal algures a pensar nas crianças. Um Pai Natal que é tão bom que também quer pensar em nós, crianças crescidas deste mundo cruel.

Por que diabo quero eu acreditar que é possível, num mundo assim?

Por que será? Não sei... 

Talvez a minha teimosia de alentejana que sabe que nunca vai desistir de nada!



7 comentários:

  1. Eu também quero..até acho que preciso crer.

    bjs nossos e meus

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos precisamos de crer nisto! E... em muito mais! Bom Natal, Roms amigos!

      Eliminar
  2. Tudo pelo melhor

    na incomensurável fábula

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Eu digo sempre que não ligo muito, mas na verdade não sou capaz de passar o Natal sem enfeitar a casa. Gosto do pinheiro, do presépio e das coisas que por aqui coloco.
    E a vida tem que ser vivida!

    Adorei as fotos! Gosto da dos amiguinhos todos juntos!
    Também já comprei a planta do Natal...é tão linda!

    Um beijinho grande :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isabel, tu és uma pessoa que tem de acreditar no Natal! Porque és boa e altruísta e amas a vida e os outros! Bom Natal!

      Eliminar
  4. Também acredito no Natal e tenho sempre um pensamento festivo. Sublinho tudo o que faz parte do seu Natal porque também faz do meu.
    A árvore está linda, as flores são lindas. Ainda não comprei a minha flor de Natal. todos os anos compro e acaba por morrer.

    Beijinhos cheio de esperança no Natal. :))

    ResponderEliminar
  5. Querida Maria João, também quero muito acreditar que há Natal. Que há amor no coração do Homem, que há esperança... Não podemos deixar morrer esse sentimento dentro de nós. E, dentro dos possíveis, temos que o transmitir aos outros, contagiar. Sim, porque contagiar alegria e esperança é bom!!
    Continuar a lutar por um mundo melhor e por mudar mentalidades!
    Por vezes, também nós precisamos que nos animem! Para para isso existem os amigos, para que juntos suportemos o barco!

    Um por todos, todos por um! - já diziam os nossos amigos Três Mosqueteiros!!

    Um beijinho natalício.:))

    ResponderEliminar