sábado, 11 de outubro de 2014

O Ratinho e o Ouricinho querem ir comigo…


A manhã parecia-me triste porque, depois de uns dias de sol, chuviscava. Eles olhavam através dos vidros molhados. Tinham ido buscar o livro da "Gata Borralheira"! Não sei onde o foram desencantar, não o via há anos!

- Levas-me contigo?, pergunta o Ratinho Poeta com um ar grave, enquanto folheava o livro.
Sabia onde ele queria chegar, mas fiz-me desentendida.
- Levar-te onde, Ratinho?
- Sabes muito bem. Como da outra vez em que fomos os dois sozinhos.
Virou-se para o Ouricinho Dan.

- Tu ainda cá não estavas. Fomos só os dois…
Suspirou. Olhou-me, apreensivo.
- Assustei-me tanto nesses dias…
- Eu sei, Ratinho, eu sei…


- Lembras-te de estarmos à janela a ver os arranha-céus do outro lado, ao longe?
- Sim, lembro-me muito bem.

- Eram tão altos! E via-se a ponte, não era? 
O Ouricinho perguntou, interessado:
- Aquela ponte bonita que eu conheço onde passamos quando vais à tua terra?

- Não... Outra ponte, também muito bonita.
- E ouvíamos os barcos no mar, lembras-te?, interrompeu o Ratinho…
- Não, Poeta querido, ali era o rio…
Não gostou que o contrariasse, mas concordou:
- Sim, era o rio. Mas eu sei que ouvia o barco-piloto!
O Ouricinho ouvia com atenção e girava a cabeça ora para um lado, ora para o outro.
- Onde vão? E eu não vou?
O Ratinho  riu, seguro de si:
- Vais, sim. Já aí tens a tua cama...
E, para mim:
- Ele vai connosco, não vai?
- Claro, desta vez vão os dois. 
- Sim, continuou o Ratinho. E fazemos-te companhia. Conversamos contigo! Levamos umas mantinhas para dormir ao pé de ti... Como os passarinhos da Gata Borralheira!



Não me apetecia pensar naquela viagem, confesso.
- E não te vai doer?, preocupou-se o Ratinho. Tantos dedinhos…
- Vão-te  cortar os dedinhos? Não quero! Não deixo!
O Ouricinho tapava os olhos com as patinhas, aflito.

- Não… Vão só endireitá-los!
- Que coisa tão estranha, estou tão baralhado! Nunca ouvi falar numa coisa dessas. 
O Ratinho já andava a mexer em tudo e a escolher o saco-cama para levarem, mas o Ouricinho continuava confuso, a olhar para o ar. 


- Os dedos! Os dos teus pezinhos? E depois ficas a andar bem?
- Dizem que sim!, atalhou logo o Ratinho. 
E continuava a estender-se em cima dos saquinhos que encontrava, sem se decidir por nenhum.
- Sim, Ouricinho, vou ficar muito melhor!
O Ratinho queria mostrar o seu conhecimento dos factos, porque ele é muito convencido como sabem.
- É claro que ela vai andar bem! Vem mas é experimentar o teu saco-cama, ó Dan!
E, virando-se para mim, disse, a rir, como se tivesse tido uma ideia genial:
- Olha! Depois até podes calçar sapatinho altos e bonitos. Como os da Cinderella!


sapatinhos da Cinderella, no Disney Store

Ah, a Cinderella e os desenhos de Walt Disney. Como eu adorei essas histórias! Até desenhei os bonecos num caderno... Os ratinhos que falavam com ela, o vestido a ser feito de lindas mousselines, os passarinhos a esvoaçar com os fios das linhas de tantas cores e as fitas de cetim...

Pensei nos passarinhos com um lencinho na cabeça. Tanta poesia, tanta beleza inesquecível! Ainda haverá livros assim encantadores para as crianças? Não sei, sinceramente, não creio.



E pensei nas irmãs dela e nos pés enormes que elas tinham!  E no sapatinho de cristal. Que história linda era!

- Sim! 
Sentia-me mais aliviada e quase contente:
- Tens razão, depois vou poder usar uns sapatinhos de cristal!

- Hihihi, e talvez tenhas sorte e o Manuel te leve ao baile...
O Ouricinho já não estava assustado e dizia a sua graça, para me animar...
Abracei-os. Eram os meus grandes amigos! Fico sempre a pensar nestas ocasiões: o que era de mim sem eles???



9 comentários:

  1. Já tinha saudades destes dois amigos!
    Trazem sempre coisas tão bonitas com eles...a Cinderela também fez as minhas delícias em miúda. A Cinderela e todas as histórias da Disney.
    Hoje há histórias infantis bonitas, mas se calhar não são tão apreciadas pelas crianças como estas eram por nós, porque hoje têm muito mais coisas a espicaçar-lhes a curiosidade e os sonhos. Não sei...

    O Ouricinho e o Ratinho estão preocupados consigo; desta vez leva dois acompanhantes. Vai bem acompanhada!

    Adorei este post e as fotos:)

    Um beijinho grande e bom domingo:)

    ResponderEliminar
  2. Mais um capítulo de fantasia do bichinhos da MJ.
    E os sapatos já não apertam?
    BFS

    ResponderEliminar
  3. Por onde andou amiga querida? Tal como o ouricinho, fico preocupada.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Querida Luisinha, o pior é que ainda não fui!.... Mas eles vão comigo 3ª feira! Depois digo mais coisas, quando estiver a andar melhor. Bem, não é que eu escreva com os pés.....acho.... bjs

    ResponderEliminar
  5. Diz o provérbio chinés "estava triste porque não tinha sapatos, até ao dia em que encontrei um homem sem pés". Não são precisos sapatinhos de cristal, só umas mãos amigas que nos ponham as pantufas, nem umas botas que corram sete léguas, só quem nos leve ao palácio encantado da ilusão, que é o mais bonito e real.
    Estarei contigo agora e sempre, princesa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já me estou a sentir bem e ainda não comecei... Obrigada, amigos todos!

      Eliminar
  6. Tudo encantador.
    Uma boa viagem, que tudo vai correr bem.
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar
  7. Estará o Manuel e estaremos todos nós, a dar força!
    Não sei se vão deixar a MJoão ter tantas visitas...:))

    Sem medos, amiga! Vai correr tudo bem!
    Conheço quem já fez o mesmo e está muito satisfeita...

    Um abraço apertado e um beijinho.:))

    ResponderEliminar