segunda-feira, 21 de abril de 2014

O dia de hoje e um poema! Edith Piaf canta "Eden Blues"

"Vontade de nada ser
Senão a vida d’ agora."

Eu...hoje? ontem? há um mês? sempre eu...

E amanhã será um dia como quisermos! Guardemos a beleza do que vimos e vivemos em cada dia!

ontem, ao pé do mar?

"Este dia de hoje é o que temos para viver, deixemos para trás o ontem, que já passou, e o amanhã que ainda não chegou, nem sabemos se virá..."
(Rabbi Nahman de Breslaw)

há um mês, no Guincho?


há um ano, na Ericeira?


há uma semana, em Lisboa?


EXCESSO DE VELOCIDADE

Uma cantiga a subir
Como um desejo sem norte
Como se um raio de sol
Nascesse do nosso fundo…
Vontade de nada ser
Senão a vida d’ agora.
Passagem d’ algum expresso
Mal entrevisto entre fumo
Rumor d’ asas,
amanhecer,
sem que o dia chegue a vir…

Adolfo Casais Monteiro


In  Poesias Completas, Portugália Editora, Lx.1972

a alegria...há quantos anos, em São Tomé? 


EDEN BLUES 

(música e letra de George Moustaki)

En descendant le fleuve argent
Qui roule jusqu'au Névada
On voit la plaine qui s'étend
A l'est de Santa Lucia
Les villes s'appellent Natividad,
San Miguel ou San Lorenzo
Les filles s'appellent Soledad
Les garçons gardent les troupeaux

C'est là que Jim a rencontré?
Sur une route un soir de pluie
Catherine la fille d'un fermier
Et qu'ils s'aimèrent toute la nuit
Le soleil fait briller son or
Dans quelques rares flaques d'eau
Le cactus forme le décor
Le chardon couvre les coteaux

C'est là qu'Adam le sénateur
Est venu finir ses vieux jours
Puis il est mort d'un coup au coeur
On prétend que c'est du mal d'amour
Mais les fleurs couchées par le vent
Semblent prier pour son repos
La lune verse une larme d'argent
Sur la croix blanche du tombeau

En descendant le fleuve argent
Qui roule jusqu'au Névada
On voit la plaine qui s'étend
A l'est de Santa Lucia
Les villes s'appellent Natividad,
San Miguel ou San Lorenzo
Les filles s'appellent Soledad

Les garçons gardent les troupeaux...

4 comentários:

  1. São certas as palavras do Rabbi Nahman de Breslaw, mas nem sempre é fácil segui-las, porque estamos condicionados por algum passado, e não conseguimos deixar de sonhar com algum futuro, embora quase nunca seja o que sonhamos. Apesar de tudo, procuro viver o presente, que é o que temos certo.
    Gostei das fotos e de ver ali uma linda senhora!
    A pintura é bonita.
    Gosto sempre de ouvir a voz de Edih Piaf!
    Um beijinho e boa semana :)

    ResponderEliminar
  2. Tens razão nem sempre é fácil de seguir... Penso que o que ele queria dizer sobretudo é que nada nos devia "prender" e que devíamos fazer o que tínhamos de cumprir sem olhar para trás ou recear o futuro: o caminho era o de hoje e era seguir em frente sem pensar no que poderia vir... Claro que é uma interpretação e claro que -como dizes- "estamos condicionados por algum passado, e não conseguimos deixar de sonhar com algum futuro." E ainda bem que o sonhamos! Que o teu seja sempre bom!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viver sem prisões porque estamos de passagem?

      Eliminar
  3. Querida Maria João,
    Tão bonita a forma como expressou a roda da vida: nada ser?
    Gostei muito de toda a composição.
    Beijinho. :))

    ResponderEliminar