quinta-feira, 16 de março de 2017

'haikus' de Inverno

Que dizer mais que não tenha dito já sobre estes poemas? Não gostaria de cansar os meus leitores...mas acrescento um pouco mais.

O caçador de sensações - que é o poeta que escreve estes curtos poemas "essenciais", síntese de imagens e de sentidos vários, em simultâneo-  não julga o real conforme a expectativa, mas procura sim prendê-lo tal qual ele é. 
Aqui deixo alguns poemas breves de grande intensidade emocional, na simplicidade absoluta.
Hocusai, Fuji

*
Tusso
Logo existo
Neve da meia-noite
Hino Sôjô
Como nestes poemas de Inverno em que ao céu de Inverno se associa a ideia da morte precoce dos soldados que partem para a guerra e sabem que vão morrer.
*
Céu azul de Inverno –
Quem diria que ia morrer
Antes da minha mãe
Sôma Senshi

Hocusai, Ventania

Ultrapassados? Infelizmente neste tempo de guerras e cataclismos que correm pelo mundo fora, de Oriente a Ocidente, está bem presente aos nossos olhos a morte - e a tragédia dos humanos, quantas vezes causadores eles próprios da própria tragédia! 
*
Para o soldado ferido
Como é frio o céu
Por cima dos altos cedros!
Yokoyama Hakkô
*
*
Só são jovens
Os meu amigos mortos na guerra –
Estalactites
Mitsuhashi Toshio

6 comentários:

  1. "Não bastam três linhas para fazer um haiku/é necessária uma epifania para que ele irrompa".

    L. Ferlinghetti

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito dos poemas e das imagens lindíssimas e bem escolhidas, que os acompanham.

    Um beijinho grande e uma boa semana:)

    ResponderEliminar
  3. Esta primavera na minha cabana
    Absolutamente nada
    Absolutamente tudo

    Yamagushi Sodo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por este belo poema no dia da Poesia! Tão verdadeiro e essencial: quase nada, quase tudo....

      Eliminar